Xadrez no R com {chess}

Por Caio em 25/11/2020

{chess} é uma interface opinionada em R para o python-chess, uma biblioteca incrível criada por Niklas Fiekas. Ela permite que usuários leiam e escrevam arquivos PGN, além de possibilitar a criação e exploração de árvores de jogos como aquelas presentes em livros de xadrez.

Este pacote ainda está amadurecendo! Então eu encorajo todos a enviar suas sugestões e bugs em issues no repositório do pacote.

Instalação

Você pode instalar a versão mais recente do {chess} do CRAN com:

install.packages("chess")

Isso deveria automaticamente instalar o python-chess no seu ambiente do {reticulate}, mas você também pode fazer isso explicitamente com o comando:

chess::install_chess()

Exemplo

Para ler um jogo existente, basta usar read_game(). Para explorar ele, você pode usar forward()/back(), assim como variations()/variation() para ver todas as variações disponíveis para o próximo movimento e escolher uma delas.

library(chess)

# Ler o primeiro jogo de My 60 Memorable Games
file <- system.file("m60mg.pgn", package = "chess")
fischer_sherwin <- read_game(file, n_max = 1)

# Posição inicial
fischer_sherwin
#>         <Start>
#> r n b q k b n r
#> p p p p p p p p
#> . . . . . . . .
#> . . . . . . . .
#> . . . . . . . .
#> . . . . . . . .
#> P P P P P P P P
#> R N B Q K B N R

# Navegar para 4. g3
fischer_sherwin %>%
  forward(7)
#>         <4. g3>
#> r . b q k b n r
#> p p . p . p p p
#> . . n . p . . .
#> . . p . . . . .
#> . . . . P . . .
#> . . . P . N P .
#> P P P . . P . P
#> R N B Q K B . R

# Ver todas as variações de 4...
fischer_sherwin %>%
  forward(7) %>%
  variations()
#>      <4... Nf6>          <4... d5>
#> r . b q k b . r    r . b q k b n r
#> p p . p . p p p    p p . . . p p p
#> . . n . p n . .    . . n . p . . .
#> . . p . . . . .    . . p p . . . .
#> . . . . P . . .    . . . . P . . .
#> . . . P . N P .    . . . P . N P .
#> P P P . . P . P    P P P . . P . P
#> R N B Q K B . R    R N B Q K B . R

# Seguir a linha auxiliar
fischer_sherwin %>%
  forward(7) %>%
  variation(2)
#>       <4... d5>
#> r . b q k b n r
#> p p . . . p p p
#> . . n . p . . .
#> . . p p . . . .
#> . . . . P . . .
#> . . . P . N P .
#> P P P . . P . P
#> R N B Q K B . R

Você também pode criar o seu próprio jogo com game() e adicionar variações ao mesmo: a função move() adiciona jogadas assim como ramos na árvore do jogo. Strings são convertidas para jogadas simples, enquanto list() funciona exatamente como os parênteses de um PGN, criando uma variação para a última jogada. Aqui podemos ver como recriar o Mate do Pastor e algumas formas de evitá-lo:

# Mate do Pastor e algumas defesas
scholars_mate <- game() %>%
  move("e4") %>%
  move("e5", list("e6"), list("d5")) %>%
  move("Bc4") %>%
  move("Nc6", list("Nf6")) %>%
  move("Qh5") %>%
  move("Nf6", list("g6", "Qf3", "Nf6")) %>%
  move("Qxf7")

# Última jogada da linha principal
scholars_mate
#>      <4. Qxf7#>
#> r . b q k b . r
#> p p p p . Q p p
#> . . n . . n . .
#> . . . . p . . .
#> . . B . P . . .
#> . . . . . . . .
#> P P P P . P P P
#> R N B . K . N R

Note que há muitas formas de estruturar a entrada de move(). Veja vignette("chess") para mais informações.

{chess} também traz muitas formas de ver tanto o jogo como um todo, quanto o tabuleiro em um momento específico.

# Tabuleiro com unicode (não fica bonito no navegador)
print(scholars_mate, unicode = TRUE)
#>      <4. Qxf7#>
#> ♜ . ♝ ♛ ♚ ♝ . ♜
#> ♟ ♟ ♟ ♟ . ♕ ♟ ♟
#> . . ♞ . . ♞ . .
#> . . . . ♟ . . .
#> . . ♗ . ♙ . . .
#> . . . . . . . .
#> ♙ ♙ ♙ ♙ . ♙ ♙ ♙
#> ♖ ♘ ♗ . ♔ . ♘ ♖

# Exportar o FEN do tabuleiro
fen(scholars_mate)
#> [1] "r1bqkb1r/pppp1Qpp/2n2n2/4p3/2B1P3/8/PPPP1PPP/RNB1K1NR b KQkq - 0 4"

# Ver o PGN depois de um movimento
str(back(scholars_mate, 3))
#> 2... Nc6 3. Qh5 Nf6 ( 3... g6 4. Qf3 Nf6 ) 4. Qxf7#

# Exportar o PGN depois de um movimento
pgn(back(scholars_mate, 3))
#> [1] "2... Nc6 3. Qh5 Nf6 ( 3... g6 4. Qf3 Nf6 ) 4. Qxf7#"

# Imagem do tabuleiro atual
plot(scholars_mate)

Motivação

O python-chess serviu como inspiração (e base) para o {chess}. Enquanto a versão original (e o {rchess}, por sinal) trabalha genericamente com “geração de jogadas, validação de jogadas” (com classes poderosas e sintaxe orientada a objeto), o {chess} é focado em facilitar a criação e exploração de árvores PGN.

Ao limitar o escopo da API, eu acredito que o pacote fica mais intuitivo para pessoas que só querem um jeito rápido de criar análises de jogos compartilháveis ou facilmente explorar os jogos dos outros sem precisar depender de um software visual.

O primeiro uso do {chess} foi me ajudando a estudar o My 60 Memorable Games do Bobby Fischer. Depois de um parsing muito difícil, eu consegui converter o livro todo para PGN e disponibilizá-lo no lichess, mas eu ainda achava que a interface não era boa o suficiente…

comments powered by Disqus

Nossa Newsletter

Uma vez por semana enviamos um e-mail para você não perder nenhum post da Curso-R. Avisamos também sempre que abrimos uma nova turma.